Sábado, 8 de Agosto de 2009

A farsa do Homem de Piltdown.


Uma farsa que durou mais de 40 anos. Se os fósseis são o registro mais seguro que os pesquisadores tem para reconstituir o remoto passado do planeta, falsificá-los é colocar em dúvida a própria pesquisa paleontológica, mas essas coisas acontecem. Mais recentemente, John Talent, um cientista australiano acusou o renomado professor Viswa Jit Gupta, da Universidade de Panjab, na Índia, de ter enviado fósseis a um colega alemão como se tivessem sido descobertos por ele na cordilheira do Himalaia. Eram do Marrocos. Mas, o mais célebre caso de fraude paleontológica, porém, ocorreu no começo do século 20, quando o arqueólogo inglês Charles Dawson anunciou ter encontrado exemplares fósseis do que seria do homem de Piltdown, em Sussex, na Inglaterra.
A descoberta teve um papel decisivo nos rumos das pesquisas sobre a origem e a evolução do homem, mas em 1953, exames espectógrafos com raios X e testes com flúor revelaram uma grosseira montagem: Os fragmentos cranianos pertenciam na realidade a um homo sapiens de 10 mil anos, o maxilar, cujos dentes foram limados para simular desgaste e envelhecidos quimicamente, era provavelmente de um orangotango. E o homem de Piltdown sumiu dos livros de paleontologia.
A principal razão porque Piltdown não foi desmascarado como fraude mais cedo foi devido aos cientistas não terem acesso às "provas," que foram fechadas no Museu Britânico. Em vez de focarem a atenção no exame dos "factos" mais cuidadosamente para descobrir a fraude, não puderam sequer examinar a prova fisica! Tiveram de usar moldes e ficar satisfeitos com rápidos olhares aos originais para comprovar que os moldes eram exactos.

A moral de Piltdown é que a ciência é falível, uma actividade humana que nem sempre toma o caminho mais directo para compreender a natureza. Quando uma anomalia como a descoberta de um crânio humano com um maxilar de macaco ocorre deve-se encaixar numa nova teoria, re-examinar a prova em busca de erros de interpretação, ou mostrar que não é uma anomalia e encaixá-la na teoria existente. O que dirige um cientista pode ter mais a ver com as expectativas pessoais e preconceitos culturais do que uma objectividade mitica atribuivel a uma Teoria Geral da Verdade e Conhecimentos Objectivos.
publicado por Admin às 00:50
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.últ. comentários

Este link não funciona. Por favor, coloque um novo...
cria um novo link por favor
http://youtu.be/jb3FvmaWtRo
Meu sonho è ter sexo com ela...
Faço desde já uma declaração prévia: sou agnóstico...
Faço desde já uma declaração prévia: sou agnóstico...
Si quieren ver mas de ella visiten: http://bootyc...
adoro documentarios !!!show de bola esse blog !!!!...
eu saquei o jogo mas nao consigo jogar, ele foi te...
em 1º lugar, para os que tem o minimo de conhecime...
blogs SAPO

.subscrever feeds